Tratamento Prévio e Acondicionamento

O tratamento prévio consiste no processo de modificação das características infectantes inerentes aos resíduos, dessa forma os riscos de contaminações e de acidentes são reduzidos. Por exemplo, o processo de autoclavação reduz a carga microbiana de culturas e estoques de microrganismos.

 

Procedimento para tratamento prévio e acondicionamento

Dentro da universidade, as unidades geradoras de resíduos infectantes devem realizar o tratamento prévio e o acondicionamento de acordo com a Resolução RDC 306/2004 da Anvisa. Os procedimentos encontram-se resumidos no quadro abaixo.

RSS

¹Os sacos devem ser substituídos caso atinjam 2/3 de sua capacidade ou pelo menos uma vez a cada 24 horas.

²Havendo descaracterização física das estruturas (trituração), podem ser acondicionados como resíduos do Grupo D.

Os resíduos Perfurocortantes (Grupo E) contaminados com material possivelmente infectante devem ser acondicionados em caixas próprias, contendo a identificação de infectante.

Todas as embalagens utilizadas para o acondicionamento de resíduos com risco biológico devem ser identificadas com os devidos rótulos, e estes devem ser preenchidos de maneira adequada. O modelo dos rótulos e a forma de preenchimento são encontrados aqui.

O caminho do resíduo realizado após a coleta até a destinação final é descrito no fluxograma abaixo.

Grupo A_caminho externo